Temas do Wordpress
   Início   

DEZ ANOS!!!!

26 jan 2017

CARÁI!!!!

Foi agora, no último dia vinte!

DEZ ANOS…

E deixei passar em branco… 🙁

Moçada, güenta aí mais um bocadinho, pois ainda tenho que acabar de resolver uns coisos na minha vida profissional – até porque preciso de grana pra continuar, certo?

Volto logo.

Logo, MESMO! 😀

| Guardado em: O Projeto |

Bilbo Bolseiro

06 jan 2017

Clique na imagem para ampliar!

Tá certo que nenhum hobbit usa sapato, bota, chinelo ou seja lá o que for…

Mas ao fazer a troca de seus quatro pneus achei que valia a pena registrar nosso pequenino Bilbo “descalço”!

| Guardado em: Fotos de Sexta |

Presente de Natal

23 dez 2016

Muito bem, crianças, moçoilas e marmanjos em geral.

Então? Vamos continuar?

Muita gente não entendeu sobre o que eu falei aqui, então deixa eu explicar melhor.

Sou advogado. Pelo menos, tento. Desde 2001 eu trabalhava na Prefeitura Municipal de Jacareí num dos chamados “cargos em comissão”, ou seja, eu era ocupante de um cargo de confiança. Sim, era. Acontece que invariavelmente esse tipo de cargo está intrinsecamente ligado à Administração que estiver no governo. Trabalhei lá de 2001 a 2004, quando o Prefeito de então se reelegeu e me convidou a continuar de 2005 a 2008. Ele fez seu sucessor, que por sua vez me convidou para um desafio até maior e lá fiquei de 2009 a 2012. Ele também se reelegeu e eu também continuei de 2013 a 2016. Entretanto, diferente do anterior, apesar de uma excelente administração (e não, não estou “puxando a sardinha” pro meu lado), ele não fez seu sucessor. Então o próximo dia 31 será meu último dia na Prefeitura e dali em diante, novos desafios!

Bem, esse é o resumo da coisa. A história é bem mais longa e merece ser contada com detalhes, mas deixarei isso para meu outro blog, o Legal.

Mas por hoje fui lá no Seo Waltair pra dar uma conferida nos detalhes que ainda faltavam. Ele estava atrás de um tanque de bom tamanho e mais uma ou outra pecinha para arrematar o motor. Fui chegando e fui conferindo…

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

E o tanque estava lá, brilhando, novinho, pronto para abastecer o motor do Titanic quando ele voltar a funcionar!

Clique na imagem para ampliar!

E eis que me aparece o filho do Seo Waltair.

– E aí?

– E aí, rapaz? Zuzo bem?

– Tudo, tudo… E o meu pai? Já te contou?

– Contou o quê?

Nisso vem o Seo Waltair todo sorridente…

– Tá pronto, ué!

– CUMÉQUIÉ????

– Tá pronto, pronto e funcionando!

– Mas, mas… Ainda não faltava o chicote? E aquelas peças que o senhor tinha me falado?

– As peças já arranjei tudo. E eu não gostei da qualidade do chicote que o rapaz tinha pra vender, então é melhor pegar esse mesmo, que é original, e ver com um eletricista pra reconstruir ele. Garanto que vai ficar muito melhor.

– E ele tá funcionando?

– Tá sim! Puxei um fio direto da bateria pra poder ligar. Só não tá carregando a bateria, mas como ela é nova, por enquanto não vai ter problema.

Disse isso, entrou no carro e deu a partida.

Pegou na primeira.

Confiram o ronco da criança:

Eu estava encantado! Sem palavras! Depois de tanto tempo a fera voltou a rugir... O Titanic estava vivo novamente!

- E aí? Faltava tão pouco pra completar que eu falei pro meu pai que ele tinha que deixar seu carro funcionando logo! Gostou do Presente de Natal?

- Cara, você não tem ideia de como! Foi a melhor e a pior notícia que eu poderia receber nesse momento!

Eles não entenderam nada, então expliquei minha situação: que eu estava saindo da Prefeitura. Ou seja, a melhor notícia foi a de ver meu bom e velho Opalão voltando a funcionar; a pior foi que, então, havia chegado a hora da "dolorosa". Havia uma conta a acertar - e não seria pouco, não!

Enfim, combinamos que na primeira semana de janeiro eu acertaria a conta - que é quando eu receberia meu saldo de salário, férias vencidas e outras verbas do tipo (comissionado não tem FGTS, multa na rescisão, nada disso). E quanto ao Titanic eu precisaria deixá-lo por ali por mais um tempinho, provavelmente até março, que é para quando projetei já estar ganhando algum cascalho no mercado novamente.

E assim, caríssimos, esta etapa está praticamente concluída. Agora é questão de fazer a parte elétrica - e quanto a isso já tenho algumas ideias coçando aqui na cachola...

Um Feliz Natal para todos vocês, para suas famílias, e que possam sentir a mesma felicidade que senti hoje pela manhã.

Garanto esta é a melhor coisa que eu poderia desejar para alguém!

| Guardado em: O Projeto |

Motorizando – parte XI

14 dez 2016

Pois é… Crise é crise…

Lembram de quando compramos a Spin? Ficamos muito felizes na épocca, pois esse era o nosso primeiro carro zero! Desde então o que estava fácil de pagar foi ficando cada vez mais difícil. Não porque o valor da parcela tenha aumentado, mas simplesmente porque as outras contas, dívidas e débitos foram comendo nossa renda pelas beiradas até a coisa ficar insuportável…

Enfim, o negócio de sempre é trabalhar com “contenção de danos”. E, no caso, ainda mais pela situação que se avizinha, manter a Spin não seria uma decisão lógica. Mas, ainda assim, permanecia a nossa necessidade de um “carro grande” – no sentido de ter pelo menos 6 lugares: eu, a Dona Patroa, os três filhotes e meu sogro-mais-surdo-que-uma-porta-de-carvalho-dupla.

Fuça daqui, experimenta dali, acabamos achando um bom negócio: um Zafira 2008!

Clique na imagem para ampliar!

Clique na imagem para ampliar!

Confesso que no começo estranhei um pouco, pois achei ela mais barulhenta que a Spin. Mas até aí, nada demais, afinal era um carro 5 anos mais velho que o anterior – que já era 2013. Só que reparando melhor nos detalhes, vou ser muito sincero: gostei! O motor é mais forte, o carro é mais robusto, tem mais espaço para os passageiros, os bancos do fundo são individuais e o ar condicionado possui um duto para a parte traseira do veículo. Parecem detalhes irrelevantes, mas para quem sai com toda essa patota, faz toda a diferença!

Agora é só cuidar de manter as parcelinhas em dia…

| Guardado em: Causos em Quarta |

Fiquei com vontade de trocar de carro…

09 dez 2016

Dia desses eu e a Dona Patroa fomos a uma revenda dar uma olhada numas opções de carro (depois eu conto o porquê). Aproveitei que estava por ali e fui dar uma conferida em nada mais nada menos que um Camaro Preto Conversível Zero – assim mesmo, com tudo começando em maiúsculas que é para demonstrar respeito.

E, apesar de todo O Projeto (sim, maiúsculas também), neste mês de dezembro fiquei com vontade de trocar de carro de novo…

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

Já tive a mesma vontade em dezembro passado (e é só isso mesmo: VONTADE), então passou rapidinho!

| Guardado em: Fotos de Sexta |

Fusca com Fuscas

02 dez 2016

Cada uma que me aparece…

Estava eu lá, tomando meu uisquinho de sempre e ói que a surrealeza em pessoa resolve passar bem na minha frente!

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

| Guardado em: Fotos de Sexta |

Cabô?

17 out 2016

Janeiro de 2007.

Foi quando comecei este meu próprio Projeto 676, mesmo sem saber que assim iria se chamar, mesmo sem saber quanto tempo levaria, mesmo sem saber quanto iria gastar, mesmo sem saber o quanto me apaixonaria por tudo isso, mesmo sem saber o tanto que agora sei…

Outubro de 2016.

Estamos perigosamente nos aproximando de dez anos desde o início d’O Projeto… Com paciência demais (por parte do mecânico, Seo Waltair) e com dinheiro de menos (de minha parte, eu mesmo), parece que tudo meio que “congelou” no que diz respeito à evolução do Titanic – não que ele seja um pokémon…

Então, a pergunta que não quer calar: Cabô?

Ou seja, não ata nem desata? Não vai mais pra frente? Parou de vez?

A todas essas perguntas – e quantas mais houver, quer seja de opaleiros ou de meros curiosos – só tenho uma única resposta possível.

NÃO.

Muita coisa aconteceu nos últimos tempos e, mais uma vez, minha vida irá dar nova guinada de 180°, um verdadeiro cavalo de pau, no melhor estilo opalístico de ser. Mas isso não significa que vou deixar de lado este nosso projeto – antes o contrário! Talvez com mais tempo e podendo me concentrar em amealhar mais renda, provavelmente será um período em que poderei me dedicar ainda mais, senão em concluir, ao menos em completar a fase atual – que já se prolongou por tempo demais…

Ou seja, me aguardem bem mais presente neste nosso espaço – confesso que um tanto quanto abandonado nos últimos tempos – se não para tratar d’O Projeto, ao menos para voltarmos a trocar ideias sobre o mundo dos Opalas!

E para não dizer que este foi um post sem imagens (diferente do que sempre faço), eis uma fotinha para vosso deleite. Que não é de um Opala. Nem ao menos de um Chevrolet. É a roda do Bilbo (o Ford Ka, lembram?), depois de eu abrir demais numa curva que tinha que abrir de menos… :-/

Clique na imagem para ampliar!

E VAMO QUE VAMO!!! 😀

| Guardado em: O Projeto |

Ferrugem na família

05 ago 2016

E eis que meu irmão do meio (eu sou o caçula) resolveu assumir a sua cota de ferrugem que circula no sangue da família! Se meteu a reformar – ele mesmo – um velho fusca que (sei lá onde) arranjou… Só que como ele mora num apartamento e não tem espaço possível para tal empreitada, resolveu que faria isso lá na oficina do Seo Bento, vulgo “nosso pai”!

Essa empreitada começou em maio deste ano, quando vi o fusca pela primeira vez. Ruinzinho, bem ruinzinho… Mas ainda assim a anos-luz de perfeição se comparado ao estado do Titanic quando comecei!

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

E estas fotos já são mais recentes, agora do final de julho!

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

Preciso é arranjar um apelido pra essa baratinha azul cascuda… 😉

| Guardado em: Fotos de Sexta |

A alguns passos do fim

22 jul 2016

Preciso mesmo de palavras para descrever essa “reta final” da qual nos aproximamos?…

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

| Guardado em: O Projeto |

Ai, que tá entrando…

20 abr 2016

Ô, podem parar!

Não é nada disso que vocês estão pensando, não!

Cambada de hereges…

Mas, a um passinho de cada vez, vamos evoluindo! Primeiramente foi preciso levantar a criança para dar condições de ter um espacinho melhor para trabalhar.

Clique na imagem para ampliar!

Outros “órgãos” encontram-se já na mesa de operação, aguardando sua vez…

Clique na imagem para ampliar!

Então.

Agora preparem-se que as cenas a seguir são fortes. De extremo deleite para quem aprecia os libidinosos contornos de um motor exposto em sua mais escancarada sensualidade… Sei que algumas fotos ficaram meio embaçadas (ah, esses amateurs…), talvez pelas lágrimas de felicidade que me turvavam a vista ao, finalmente, ver minha criança, meu Titanic, cada vez mais perto da próxima fase. Mas – tenho certeza – assim como eu, vocês também irão se emocionar… :’-)

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

Pois, é cavalheiros – não demora muito a fera estará prestes a rugir novamente! Tá certo que ainda temos muitos detalhes pela frente – como, por exemplo, a cremalheira que não tá lá muito boa (se não sabe o que é isso, dê uma lida neste post aqui…), o radiador que ainda precisa ser restaurado, o tanque que precisa ser comprado… – mas nada que impeça o andamento d’O Projeto! 🙂

E para que não digam que sou de todo mau (ainda que seja), eis uma última foto – talvez a única que tenha saído nítida o suficiente para apreciação alheia…

Clique na imagem para ampliar!

| Guardado em: O Projeto |

Motorizando – parte X (Bilbo Bolseiro)

09 abr 2016

Clique na imagem para ampliar!

Isso mesmo.

Um Ka.

Parece praticamente um desequilíbrio emocional para quem está num projeto de Opala, não é mesmo?…

Clique na imagem para ampliar!

Aliás, a primeira pergunta que eu sempre ouvia quando dizia ter comprado um Ka invariavelmente era: “Mas você cabe num Ka?”… Gente: garanto-lhes que, mesmo do alto de meu um metro e noventa, o Ka é confortável o suficiente para mim. Só não posso dizer o mesmo de quem sentar no banco traseiro…

Clique na imagem para ampliar!

Aliás acabei me dando bem: eu estava negociando primeiramente com uma loja de carros, procurando um financiamento, e tinha um 2006 em vista – daquele com cara de “sapinho”. Já andei num de um amigo e sabia que eu cabia… Mas de vez em quando a gente até que consegue ter um tiquinho de sorte!

Clique na imagem para ampliar!

Meio que sem querer querendo descobri que a irmã da Fernanda, uma querida amiga que trabalha comigo, estava vendendo o carrinho dela. Ano 2009, modelo 2010, com aproximadamente 90 mil quilômetros – ou seja, dentro de um padrão aceitável, que é de 12 a 15 mil por ano (bem na casca!). Pneus bons, perfeito estado, documentação em dia, IPVA pago. Conferi o preço de tabela: R$16.500,00. Fiz a proposta de mais ou menos uns 10% abaixo da tabela, coisa de R$15.000,00.

Topou!

Clique na imagem para ampliar!

E assim me tornei o mais novo feliz proprietário de um carrinho mil, que faz cerca de 13 a 14 quilômetros por litro (bem melhor que os 7,5 do Cruzador Imperial), e que, pelas reduzidas dimensões, foi carinhosamente apelidado pelo meu filhote mais velho de Bilbo Bolseiro

Ah, sim: sou o segundo proprietário! 😀

A seguir aguardem cenas explícitas de um motor no cofre…

| Guardado em: Causos em Quarta |

A caminho do cofre

08 abr 2016

Cheguei lá na oficina para dar minha conferida semanal – que tem se tornado quinzenal (quase que mensal) – e qual não foi minha surpresa ao ver que a grossa camada de poeira que “protegia” o bom e velho Titanic não mais estava lá!

Clique na imagem para ampliar!

E, mais ainda, ao ver que estava totalmente limpo também por dentro, sem aquelas peças perdidas em todos os cantos do assoalho e – pasmem! – com o velho banco do motorista no lugar…

Clique na imagem para ampliar!

Banco esse que será oportunamente descartado, mas que mantive por perto somente para poder ter onde sentar quando – frise-se o “quando” – o motor estiver pronto.

Clique na imagem para ampliar!

Fui conferir o que estava acontecendo e… vejam por si mesmos que visão maravilhosa!

Clique na imagem para ampliar!

Dia desses ainda estava na montagem e agora eu o encontro ali, dormindo, montado, quase pronto para seu próximo destino…

Clique na imagem para ampliar!

Fui trocar uma ideia com o Seo Waltair e ele me disse que estava quase prontinho para colocar no cofre. Só faltava a polia. “Deu algum problema?”, perguntei-lhe. E ele me explicou. E estava abismado. Acontece que ao colocar a polia original, esta rachou, de modo que ele foi no mercado atrás de outra e o que encontrou foi uma de ferro fundido! Ele não se conformava! “Ferro fundido, veja só! Que ideia de jerico! Isso tinha que ser de ferro batido e não fundido. Só no tentar colocar já engastalhou ali no comecinho e resolvi não insistir e tentar uma outra polia nova…”

Clique na imagem para ampliar!

E assim, com um sorriso no rosto, o coração leve e esperança no dia de amanhã – ainda que não tenha um puto no bolso – é que deixei a oficina nesse glorioso dia… Cada vez mais perto de ouvir o rugido da fera novamente!

🙂

| Guardado em: O Projeto |

A Variant

30 mar 2016

No post anterior eu havia comentado que meu pai – ainda que “a contragosto” – iria me emprestar uma Variant para mim nesse período em que eu estivesse descarreado, certo? Pois bem, ele me emprestou a dourada. Ele SEMPRE empresta a dourada! Nada contra, pra quem tá à pé, qualquer veículo é veículo… Mas acho que o xodó dele pela marronzinha é tão grande que meio que me contaminou…

Lembram-se dela? Da marronzinha? Um verdadeiro causo! Em 2010 (há uns sete anos se vocês forem razoavelmente bons de cálculo) eu fiz esta sessão de fotos da Variant.

Bem, o tempo passou e já que eu iria ficar uns tempos com a Variant (mas não “A” Variant), resolvi atualizar as fotos para que vocês percebam como o tempo ali parou…

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

Aliás, considerando que trata-se de uma Variant 74 – que meu pai comprou nos idos de 76 – não podia deixar de faltar um detalhe clássico dos carros daquela época: a famosa bolinha de siri no câmbio! 😀

Clique na imagem para ampliar!

| Guardado em: Causos em Quarta |

No more Beauty, no more Beast…

26 mar 2016

Desde a virada do ano muita coisa vem acontecendo – no mundo, no país, no trabalho e na minha vida pessoal (na exata ordem inversa de importância…) – e que muitas vez traz consequências e a dura necessidade de enfrentar algo do tipo “recalculando rota”…

MENOS NO QUE DIZ RESPEITO AO “PROJETO”!!!

Então ladies (tem alguma por aí?) and gentlemen (vocês são, não são?) vejamos alguns dos últimos acontecimentos que, direta ou indiretamente, influeciam n’O Projeto.

Pra começar temos que precisei vender meu querido Opala 90 (“The Beast”), conhecido originalmente como Poseidon e, mais recentemente, como Cruzador Imperial (eu já estava até buscando uma buzina com o tema do Darth Vader pra colocar nele…).

Clique na imagem para ampliar!

Após diversas idas à feirinha – fonte inesgotável para comprar ou vender todo e qualquer carro velho clássico que se possa imaginar – e um bom tempo anunciado no OLX – onde textualmente escrevi que só me interessava a venda, o que, óbvio, foi a porta aberta para que me apresentassem as mais estafúrdias propostas de troca. A gente fala uma coisa, as pessoas fazem outra! Eu nunca vou deixar de ficar abismado com essa raça. Humana.

Enfim, de um encontro mais inusitado possível foi que acabou saindo negócio. Numa sexta-feira dessas, do nada, resolvi dar uma passada num dos locais de praxe para sextas-feiras dessas: no caso, lá na MetalMotos, uma oficina-rock-bar, para uma breja gelada, uma dose de uísque, um colírio para os olhos e um bom bate papo com o pessoal que costuma frequentar o local, quer fossem conhecidos ou não. E num desses proseios surgiu um caboclo que se interessou pelo carro – não pra ele, mas para um amigo. Eu sequer estava com a viatura no local, apenas descrevi em detalhes como era e o pouco que tinha que ser feito a título de reparos.

Clique na imagem para ampliar!

Eis que no dia seguinte o sujeito me liga pra dizer que o amigo dele até se interessou, mas naquele momento não tinha como fazer negócio. Pensei comigo: “legal esse cara, ainda que não tenha dado negócio ligou ao menos para dar satisfação, difícil gente assim hoje em dia…” Agradeci e já estava prestes a desligar quando, assim, de supetão, ele me soltou: “ele não ficou, mas eu fico”.

Confesso que fiquei meio surpreso, mas proseamos mais um pouco, combinamos de ele vir dar uma olhada no carro, trocamos e-mails, uatizápes, telefones e contas-correntes e, quando menos esperava, o negócio estava concluído. E, exatamente no dia 13 de janeiro, lá se foi o bom e velho opalão…

Clique na imagem para ampliar!

E, na sequência, também precisei negociar a querida Harley 883 (“The Beauty”), sem outros codinomes, parceira de estradas viagens e outros momentos especiais…

Clique na imagem para ampliar!

A questão é: é muito bom ter moto. Muito MESMO. Mas há que se ter um carro, também. Após a venda do Opala, tendo somente a moto como meio de transporte, bastaram três dias de intensa chuva torrencial ao voltar pra casa para me congestionar todo e ocasionar, numa reação em cadeia, uma coisa que jamais tive na vida: um ataque de sinusite. Localizado, temporário e com cura. Mas uma desgraça pra se passar o dia-a-dia!

Por conta disso precisei ter um proseio com Seo Bento, vulgo Meu Pai, que tem dois conservadíssimos veículos: duas Variants, uma marrom, outra dourada. Expliquei a situação, garanti que era só por uma, talvez uma semana e meia e que cuidaria bem de sua relíquia. Meu pai, que é de uma franqueza cavalar, simplesmente me respondeu: “Ói, fio, a contragosto, mas empresto sim.”

Bem, fazer o quê? Esse é meu pai. Ao menos pude dirigir um tempo sob capota coberta, enquanto voltava a arquitetar minhas arquitetações e planejar para onde correr desta vez. E a conclusão óbvia foi me desfazer da moto. Negociar daqui, resolver dali, saldar dívidas acolá e, enfim, tocar a vida em frente.

Clique na imagem para ampliar!

Como o Universo não cansa de caçoar da minha pessoa, trazendo situações quase que inverossímeis para esta minha vidinha, no último dia 23 acabei fechando negócio com ninguém mais, ninguém menos que o Flávio – que foi o mesmo amigo de quem eu comprei a moto! O curioso é que no tempo em que fiquei com ela, fiz algumas adaptações, instalei um Sissy Bar (encosto), comando avançado, alforjes – tudo sempre com o palpite dele. A brincadeira era que, apesar de vendida, a moto era “nossa”. Nada mais verdadeiro…

Clique na imagem para ampliar!

Enfim, crianças, é isso…

Oi?

Se agora estou a pé?

JAMAIS!

A história de hoje já está longa e faltam-me fotos para a história a seguir. Fora o fato de que O Projeto já caminhou um tanto e temos novidades na área! Mordam seus cotovelos de curiosidade e aguardem notícias – muito em breve! 😀

| Guardado em: Dois Canecos, Poseidon / Cruzador Imperial |

Na mesa de cirurgia

21 mar 2016

Bem, vocês lembram que da última vez o motor estava já retificado, aguardando o início da montagem, certo? Inclusive já tinha sido até pintado – da mesma cor que o Titanic. Pois bem, agora ei-lo na “mesa de cirurgia”, com cada pistão em seu lugar!

Clique na imagem para ampliar!

E aqui, no avesso, com o virabrequim devidamente instalado também…

Clique na imagem para ampliar!

Mais uma, agora com o bichinho meio de esgueio.

Clique na imagem para ampliar!

E aqui, o focinho!

Clique na imagem para ampliar!

Sei que muitas vezes essa questão de mecânica é meio complicada para alguns… Afinal tem gente que somente sabe levar o carro no mecânico e sair com ele de lá funcionando, certo? Só que nós, opaleiros, com ferrugem nas veias, não nos contentamos com tão pouco! Podemos até não saber fazer, mas temos uma obrigação moral de, no mínimo, saber como funciona. Por isso mesmo segue um esqueminha básico para que os desavisados de plantão entendam toda a poesia desse momento de montagem do motor…

Clique na imagem para ampliar!

| Guardado em: O Projeto |

Fechando 2015…

31 dez 2015

Ainda que tarde para um “Feliz Natal”, ainda há tempo para um “Próspero Ano Novo”…

Pois é, caríssimos, como sabem a crise pegou todos de jeito. Não adianta me dizerem que a culpa é deste ou daquele partido político, pois, na minha humilde opinião, foi a “conjuntura” que nos trouxe ao presente momento. Independentemente de minhas próprias convicções, acho que todos – sem exceção – colaboraram para o atual estágio da economia. Essa crise política, essa insistência num “terceiro turno”, os escândalos, a corrupção, um “impeachment” sem consistência jurídica, um vice-presidente fraco, um presidente da Câmara mau caráter e mesmo uma presidente que aparenta estar perdida em meio a tudo isso – bem, são esses os pontos principais dessa maçaroca.

E, “graças” aos advogados de plantão, com seus recursos intermináveis, não vejo um breve fim para essa crise política…

E enquanto a crise política persistir, a crise econômica haverá de perdurar.

E é por isso que é importante aprender com a história:

O orçamento deve ser equilibrado, o tesouro público deve ser reposto, a dívida pública deve ser reduzida, a arrogância das autoridades deve ser moderada e controlada. Os pagamentos a governos estrangeiros devem ser reduzidos para que Roma não vá à falência. As pessoas devem novamente aprender a trabalhar em vez de viver às custas do Estado.

Marcus Tullius Cicero (*106 aC / +43 aC)

Mas isso é só pra pensar um bocadinho… Deixemos a política de lado, porque esse nunca foi intento deste nosso espaço virtual: afinal se você está aqui é porque quer, no mínimo, falar sobre Opalas!

E, opalisticamente falando, O Projeto continua do mesmo jeitinho, devagar e sempre. Afinal a crise que citei aí em cima (ói ela de novo…) também afetou os parcos recursos deste ancião que vos tecla. Desde que o motor foi retificado, começou a luta para encontrar as peças originais ou paralelas de boa qualidade (que só o Seo Waltair sabe reconhecer) para a montagem. Na última semana antes do Natal passei por lá e ele me informou que já tinha conseguido praticamente tudo, das bronzinas aos tuchos – inclusive um chicote novo, montado por um caboclo especialmente para o modelo do Titanic (1979).

O motor foi pintado (não, não nas cores “originais”, lembram-se?), outras peças estão ficando no ponto e a última busca que ele tem feito é por um tanque de gasolina de metal.

Para não ficarmos somente nas palavras, eis algumas imagens do nosso querido Titanic, inclusive da poeira que o recobre – segundo o Seo Waltair é pra proteger a pintura…

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

 

Clique na imagem para ampliar!

Bão, é isso, moçada.

Aguardemos com ansiedade o ano de 2016, quando, certamente, esse velho motor voltará a rugir, uma vez que restaurada toda a força de seu coração mecânico.

Boas festas procês!!!

😀
 

| Guardado em: O Projeto |

Opala Comodoro 1990 – OLX

19 nov 2015

Opala realmente é uma paixão para os aficcionados…

E certamente você que está lendo estas linhas o é! O que mais explica eu ficar mais de dois meses sem colocar uma atualização sequer aqui neste nosso cantinho virtual e ainda ter, em média, 150 visitas por dia? É coisa de louco mesmo. Na qual, honrosamente, me incluo! 🙂

Mas vamos aos negócios.

O nosso querido Titanic continua firme e forte na reforma – mais do que eu, até. Ainda que já tenhamos evoluído um bocadinho mais nO Projeto, eu e o “Seo Waltair” continuamos honrando nosso bom e velho acordo, onde ele não tem pressa e eu não tenho dinheiro.

E esse é o ponto.

A crise chegou.

Nestes difíceis tempos de contas a pagar, rematrícula dos (três!) filhotes, contas a pagar, cartões de crédito, contas a pagar, cheque especial, contas a pagar, final de ano chegando, contas a pagar, empréstimos e o escambau, o caixa tá pra lá de baixo. Aliás, eu já falei que tenho contas a pagar?…

Então, caríssimos, achei por bem entrar em modo de “contenção de danos”. E, para isso, vão-se os dedos e fiquem os anéis…

Não. Péra.

Vão-se os anéis e fiquem os dedos!

Aí, sim.

E, assim o sendo, dentre outras medidas, vi-me obrigado em colocar à venda o nosso querido Cruzador Imperial. Vocês já o conhecem – em detalhes – daqui mesmo, do blog, desde quando o comprei.

Então, caso haja algum interessado, os detalhes estão no anúncio lá no OLX. Basta clicar na imagem abaixo, ok?

É isso.

Anúncio no OLX!

| Guardado em: Poseidon / Cruzador Imperial |

Mais antigos - engata a ré!