Desportaluvando

Carro velho tem barulho.

Isso é FATO.

Todo e qualquer carro na faixa dos “inte” ou “inta” anos de uso tem barulho, certo?

DESCONCORDO.

O melhor exemplo que tenho disso é a boa e velha Variant do Seo Bento (vulgo meu Pai). Já tem seus 34 anos não só de idade mas também de efetivo uso no dia-a-dia e funciona como um relógio. Tudo firme. Tudo no lugar.

Desse modo aquele tréque-tréque-tréque que eu até já estava me acostumando quando andava com o Titanic II vai ter que acabar. O primeiro passo é fixar corretamente o painel, pois estão faltando parafusos e o danado está solto. Sim, totalmente solto.

Os parafusos de cima são fáceis. Bastou arranjar um de cabeça larga e colocar no lugar. Eles ficam meio que escondidos da linha de visão tanto do motorista quanto dos passageiros.


Um dos parafusos, logo acima do controle de ar

O perrengue são os parafusos de baixo. Como foi meu pai que desmontou essa parte do Opala 79 eu acabei não acompanhando como ele era afixado em baixo. Fui tateando, tateando, elucubrando, pensando, até que cheguei a uma conclusão: só podem ficar ATRÁS dos botões do painel (limpador de pára-brisa e faróis).

E daí? Como tirar?

Fácil.

Basta colocar a mão por trás do painel e empurrar o botão. Não se preocupe. Não dá choque nem espeta. Tá, espeta um pouco. Mas dá para sobreviver. Dessa maneira teremos acesso ao parafuso que prende a parte inferior do painel.


O botão, depois de empurrado, e o parafuso “oculto”

Devidamente preso na lata (como deveria estar desde o início), até a aparência do painel ficou melhorzinha…


O painel devidamente afixado

Acontece que o lado do porta-luvas também está todo meio que solto. Comecei a desmontar e – qual minha surpresa – começou a sair por pedaços. Isso é, até o último pedaço, da entrada de ar, que simplesmente não saía.

Bem, todos os parafusos foram retirados – disso eu tinha certeza. A maior parte fica dentro do próprio porta-luvas. Então aquele pedaço só poderia estar encaixado. BEM encaixado. Com muito jeito, tato (até de modo a não quebrar ainda mais) e um pouco de força bruta, foi possível ir tirando-o pouco a pouco. É que, como ele também vai encaixado na lataria, havia um excesso de cola ou outro material qualquer que estava dificultando a coisa. Aliás, um detalhe que eu não havia me tocado antes: está faltando a mangueira que liga a entrada de ar ao painel. Paciência. Mais tarde vejo isso.


O porta-luvas sem o porta-luvas

Agora preciso bolar uma maneira relativamente “inteligente” de fazer o reparo. Simplesmente arrebitar com uma chapa fina não vai dar, pois tem partes que ficarão à mostra. Terei que usar uma cola que seja rígida o suficiente para que não se solte e, concomitantemente, que seja flexível o suficiente para não quebrar com a trepidação do carro…


O porta-luvas inteiro (pero no mucho…)

15 pensamentos em “Desportaluvando”

  1. Olha Jayson, na verdade esse ponto de vista a respeito de motores nem é meu: herdei do meu pai!

    Mas no que diz respeito ao Chevette, não desanime! E, se possível, faça sim um blog da empreitada! Se tem um lema que defendo é que a “informação deve ser compartilhada”. Se existir apenas mais uma pessoa que se interesse por tudo que você vier a escrever sobre a reforma, garanto que a sensação é de que tá pago!

    Já com relação à GM, sinceramente não sei. ACHO que sim, que, se tiverem, eles mandam o manual, mas – com os documentos do carro em mãos – tente ligar para o telefone 0800-7024200 (como eu já havia comentado aqui).

    No mais, como diria meu filhote mais velho do alto de seus nove anos (e recém “catequizado” na série Star Wars): que a FORÇA esteja conosco!

    PS do PS: Desculpe-me, não entenda isso como pedantismo, mas não sou lá muito de assistir a esses programas de auditório da vida. Mas confesso que fiquei curioso e fui conferir essa história do Opala nesse link. Minha opinião? Num primeiro momento parece que fizeram um bom trabalho preservando a originalidade do carro. A pintura ficou bem legal. Particularmente não gosto de suspensões rebaixadas ou de aros 18, 20 ou seja lá o que for – mas isso é cisma de minha parte. Também não sou fã do “assoalho de ônibus” e daquelas pedaleiras – aliás o painel “personalizado” ficou por demais gueizótico… O teto solar até que ficou bacaninha. Mas acho um desperdício enorme um sistema de som daquele porte para um carro – até porque usualmente o que sobra em som falta em gosto musical. Outro sinal de minha idade… Por fim, NÃO, eu não dançaria ou cantaria nada para reformarem meu carro. Essa é uma questão pessoal e não deixaria ninguém colocar a mão no Opalão 79…

  2. Olá Sr. Adauto, olha eu aqui novamente :D, e chamo de senhor por costume do interior, e creio que eu não possa ser chamado assim (tenho apenas 22 anos…!) rs…
    Muito interessante o seu ponto de vista sobre carros antigos têm de permanecer silenciosos, concordo em gênero, número e grau! Pois tenho uma empreitada parecida (e muito!!) com a sua, porém o veículo em questão é um chevette (bem que eu queria um opala, mas minhas condições financeiras não suportariam seu alto consumo!!) e até estou pensando em bolar um blog (tá certo… Não seria muito original de minha parte, mas não deixa de ser mais uma referência de reformas em diarios online!!), mas tempo é algo que não disponho muito no momento…
    Ah sim, outra coisa, gostaria de saber se o senhor sabe se a GM manda manuais do Chevette, assim como os do Opala, e também como proceder para receber tal documento, se pudesse me mandar um e-mail, ou responder aqui mesmo seria muito grato!!
    []’s e que tenhamos força, paciência e $$ para concluirmos nossas reformas!!
    PS: Assistiu o Lata de Velha desse último sábado?? dançaria Billie Jean também para ter o Opalão reformado? e gostou do resultado final??

  3. Então, João Paulo, o negócio é que nunca curti muito esse negócio de “tunar” o carro. Tá certo que não pretendo fazer um trabalho de restauração, mas sim de reforma – ou seja, pretendo deixar o carro próximo do original, mas com alguns confortos dos carros modernos (tipo direção hidráulica, vidros elétricos, etc).

    De resto, nada tão chamativo. As rodas que gosto – como já disse mais de uma vez – são as do SS. As que você mostrou até que são bonitas. Mas as do SS são MAIS! 😉

    Já a questão do som eu gosto para EU ouvir. Não sou muito de colocá-lo nas alturas, mas como já disse, provavelmente seja apenas uma questão de idade (avançada)… E olha que gosto de um bom heavy-metal, hein!

    Por fim, no que diz respeito aos links – fique à vontade! Eu sempre confiro todos que são colocados (até para ver se não tem nenhuma sacanagem na coisa), mas não faço questão nenhuma de proibir ou controlar links que tenham tudo a ver com o assunto que esteja sendo discutido, ok?

    Abração!

  4. Olá Seo Adauto!

    Descobri que o senhor é dos meus! Também não gostei muito de frescuras como painel “emperequetado”, pedaleiras e assoalhos de ônibus… Mas gosto de rodas grandes, só não acho usuais. São bonitas só pra olhar… Quando tiver um Opala colocarei rodas de ferro da Mangels de 15″ rotineiramente vistas em jipes ou caminhonetes, mas acho que tem elas com furação pra Opala também… Pra mim elas devem aguentar o tranco, além de ser bem esportivas. Desse modelo aqui: http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-74105737-rodas-p-bugre-aro-15-mangels-na-embalagem-s-uso-okm-_JM

    Quanto a som, eu acho que o sistema do rapaz ficou até um pouco “singelo”… Gosto de alto-falantes de 12” pra cima. Hehe! Quem sabe a minha idade também influa nisso.

    Até mais Seo Adauto!

    Abraços

    Obs: Há algum problema em eu citar links? Caso exista, me avise, que eu faço outra postagem…

  5. Fala amigo…tudo bom com vc??

    estou entrando pela primeira vez no seu site pq procurava algo sobre cambio encavalado, pois éstou tendo esta ótima experiencia no meu opala 80 4c, porém minha rua é estreita e sem saida e é claro q encavalou a 1° marcha… e não consigo voltar pra minha garagem…

    De qualquer forma, gostei muito dos seus relatos, muito bem detalhados… vou virar seu novo leitor…

    e a respeito, se souber de algum interessado no meu caro estou vendendo por 3500…

    abraços e boa sorte

  6. Olá Renato! Sê bem-vindo!

    Bem, não sei se já consertou o possante, mas, caso seu câmbio também seja à base de trambulador, então tem um passo-a-passo bem neste link aqui.

    Obrigado pela visita e fique sempre à vontade para palpitar sempre, ok?

    Quanto ao seu carro, taí a propaganda. Caso queira, tem uma sessão que carinhosamente chamo de “Fotos de Sexta” na qual toda sexta-feira exponho fotos do mundo opalístico. Se quiser posso disponibilizar lá também as do seu carro. Basta me mandar por e-mail!

    Um grande abraço!

  7. Olá e boa noite 😉
    Tenho uma pergunta… Por acaso você (não) tirou fotos da parte do ventilador, sanfonas, […] quando você desmontou o painel? Pois nem faço ideia como colocar o que a onde no meu Opalão… Veio sem as peças, agora comprei depois de muitas horas nos desmanches, ferros velhos, …
    Abraço e obrigado
    Floriano

  8. Olá, Floriano. Tirei algumas sim. Provavelmente amanhã eu já ponho no ar, ok? Não se se ajudará muito, mas pelo menos fica uma convocação para quem mais tiver fotos dessa parte do carro…

    Inté!

  9. Olha, boa matéria e tal parabéns pela vontad ede reformar o carro, e que carro tô com apenas 15 anos mais gosto muito de automóveis, bem para tentar recolar seu porta luvar vc pode usar araldite que é uma mistura de uma cola com pó de ferro é bastante resistente…

    abraços!

  10. Jario, já tinha planos de utilizar não só a Araldite, mas também um reforço arrebitado por dentro. Vamos ver se, dentro em breve, consigo acabar de arrumar esse painel…

    Inté!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *